Blogdopa | “Está de pé”, diz novo secretário do DF sobre reajuste de servidores

0
140

Terceira parcela do reajuste de servidores públicos do DF será paga a partir de abril de 2022, como prometeu o governador Ibaneis Rocha.

O novo secretário de Economia do Distrito Federal, José Itamar Feitosa, garantiu o pagamento do reajuste previsto para diversas categorias de servidores públicos do DF, a partir de abril de 2022. Logo após o sorteio do Nota Legal, o gestor responsável pelas contas públicas da capital federal confirmou a recomposição salarial.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) assumiu o compromisso de pagar a terceira parcela do reajuste prometido ainda na gestão do ex-governador Agnelo Queiroz (PT). Questionado, Itamar chancelou o promessa, garantindo o pagamento. “A terceira parcela a partir de abril está de pé”, afirmou.

Itamar Feitosa tomou posse como secretário nessa quinta-feira (23/12), no lugar de André Clemente, recém-empossado como conselheiro do Tribunal de Contas do DF (TCDF). Membro da equipe do antecessor, Feitosa sinaliza uma gestão de continuidade. A ideia é manter o equilíbrio da economia.

“Nós conseguimos ajustar bastante as contas do governo. Nós temos hoje um ambiente de credibilidade, de confiança. As empresas podem investir aqui tranquilamente. A Folha de Pagamento todos os meses é paga. O custeio que nós temos com as empresas todo o mês é pago”, assinalou.

A medida contemplará pelo menos 35 das 43 carreiras que integram a estrutura do Executivo local. A coluna Janela Indiscreta teve acesso à tabela de concessão do repasse. O documento foi elaborado pela Secretaria de Economia e aprovado pelo governador. No próximo ano, o impacto sobre os cofres públicos será de R$ 100 milhões mensais, totalizando R$ 1 bilhão anualmente.

Dentro das categorias contempladas, os dentistas da Secretaria de Saúde receberão os maiores percentuais em seus contracheques: 22,21%. A carreira de magistério público, por sua vez, terá o menor reajuste, com 3,5% sobre o valor do saldo mensal.

Forças de segurança – que são remuneradas com recursos do Fundo Constitucional –, servidores do Procon e da Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF), auditores tributários e defensores públicos não terão esse aumento nos salários.

Entenda o reajuste

A correção salarial foi aprovada em três vezes, a partir de 2013, mas apenas as duas primeiras foram pagas pelo então governo de Agnelo Queiroz (PT). A última parcela deveria ter sido quitada pelo ex-governador Rodrigo Rollemberg (PSB), em 2015, mas o político alegou problemas orçamentários e levou o caso para a Justiça.

A princípio, foram beneficiadas 32 carreiras; porém, nos últimos anos, acabaram surgindo outras três novas categorias, derivadas das originais. A quitação era uma das principais bandeiras de campanha de Ibaneis, antes de vencer as eleições de 2018.

Atualmente, há pouco mais de 200 mil servidores inscritos nas folhas de pagamento da Secretaria de Economia, dentre os quais 150 mil estão ativos.

A terceira parcela é reivindicada por assistentes sociais, professores e profissionais da saúde, entre outras categorias. Por impactar grande parcela do eleitorado brasiliense, essa foi uma das pautas mais discutidas nas eleições de 2018.

Para a presidente do Sindicato dos Funcionários em Estabelecimentos de Saúde (SindSaúde-DF), Marli Rodrigues, o anúncio é uma reparação histórica para o funcionalismo.

“O pagamento da terceira parcela significa o fim do calote histórico do governo Rollemberg. Para nós, será mais uma página virada em breve. Já acumulamos mais de 73 meses de prejuízo, que ficará na conta negativa do ex-governador”, disse.

Veja as categorias contempladas:

  1. Apoio às atividades jurídicas
  2. Assistência à educação
  3. Atividades complementares de segurança pública
  4. Atividades culturais
  5. Atividades de trânsito
  6. Atividades do hemocentro
  7. Atividades do meio ambiente
  8. Atividades em transportes urbanos
  9. Auditoria de atividades urbanas
  10. Auditoria de controle interno
  11. Cirurgião-dentista
  12. Desenvolvimento e fiscalização agropecuária
  13. Enfermeiro
  14. Especialista em saúde pública
  15. Execução penal
  16. Fiscalização e inspeção de atividades urbanas
  17. Gestão de apoio às atividades policiais civis
  18. Gestão de resíduos sólidos
  19. Gestão e assistência pública à saúde
  20. Gestão e fiscalização rodoviária
  21. Gestão fazendária
  22. Magistério público
  23. Médicos
  24. Músicos
  25. Planejamento urbano e infraestrutura
  26. Policiamento e fiscalização de trânsito
  27. Políticas públicas e gestão governamental
  28. Política pública de assistência social
  29. Regulação de serviços públicos
  30. Socioeducativa
  31. Técnica em enfermagem
  32. Vigilância ambiental e atenção comunitária à saúde.

Blogdopa e os previlegios da secretaria de economia.