Blogdopa, Ajuda: Menina de 15 anos precisa de ajuda para comprar próteses após amputações

0
69

Catarina Gurgel, 15 anos, precisou amputar o braço esquerda e a perna direita após ser acometida por a infecção generalizada

Catarina Gurgel, uma menina de apenas 15 anos, viu a vida mudar em menos de um mês. Após ter uma infecção generalizada aguda — condição conhecida como sepse — em agosto deste ano, a estudante teve dois membros amputados: a perna direita e o braço esquerdo. Agora, ela pede ajuda para conseguir arcar com próteses. Para isso, ela abriu uma vaquinha virtual e conta com doações a fim de retomar a rotina de antes. Os valores passam de R$100 mil.

A história de Catarina começa em 22 de agosto. Após sentir dores na região abdominal, ela foi com a mãe, Wilca Gurgel, 49, ao hospital. Lá, a menina foi diagnosticada com infecção urinária, pegou a receita de um antibiótico e voltou para casa. Porém, instantes depois precisou retornar ao hospital. “Ela chegou em casa e começou a desmaiar várias vezes, não chegou nem a tomar o remédio. A mãe voltou com ela para o hospital correndo”, conta a tia de Catarina, Valquíria Gurgel, 48.

No hospital, a estudante foi internada em uma unidade de terapia intensiva (UTI) imediatamente e foi entubada. “Ela chegou a ter uma parada cardíaca de cerca de 20 minutos. Os médicos nos avisaram que ela não ia sobreviver, chegaram a chamar a família para se despedir”, diz Valquíria. Porém, Catarina resistiu e passou 24 dias na UTI. “Chamam ela de milagre do leito 13, porque a recuperação foi algo inexplicável”, comenta a tia.

Amputações

Porém, enquanto Catarina se recuperava, os médicos alertaram a família que dois membros ficaram necrosados, devido complicações e altas doses de medicações. Por isso, foi necessário amputá-los. A perna foi amputada em 1º de setembro, o braço, no dia 21 do mesmo mês.

Catarina estava ciente das amputações. Partiu dela a ideia da vaquinha para arcar com próteses. “Ela tem vontade de viver, de sair da cama. Ela que nos dá forças, porque a família está devastada. Catarina tem noção de que a vida dela é um milagre e não quer parar por aí”, afirma a tia.

Nos últimos 30 meses, o governo local também oferta próteses cirúrgicas. Foram inseridas 642 peças durante operações nos ombros, quadril e joelhos. O custo é de 2,2 milhões de reais. Segundo a Secretaria de Saúde, elas são colocadas para tratar problemas como fraturas, patologias e doenças degenerativas.

Acessórios mais caros de titânio e que oferecem maior mobilidade ao usuário não eram adquiridos pelo GDF desde 2013. Mas em janeiro deste ano, foram disponibilizadas 89 próteses dessas de alta tecnologia de membro inferior.

Blogdopa, o Portal Alfa fogo das notícias o jornalismo verdade.