Blogdopa, O motorista suspeito de atropelar e matar o ciclista Brendo Santiago de Oliveira, de 20 anos, se apresentou

0
43

O motorista suspeito de atropelar e matar o ciclista Brendo Santiago de Oliveira, de 20 anos, se apresentou na tarde desta segunda-feira (19) à 33ª Delegacia de Polícia, em Santa Maria. Até pouco antes das 15h, o homem prestava depoimento na unidade. Ele foi identificado apenas como Paulo Henrique, de 28 anos.

CORREÇÃO: inicialmente, a Polícia Civil disse que o motorista não tinha carteira de habilitação. No entanto, no fim da tarde, a corporação afirmou que divulgou a informação errada, e que ele é habilitado. A reportagem foi corrigida.

Em depoimento aos agentes, o homem disse que, após o acidente, foi até a vítima, pediu para que chamassem socorro e, em seguida, embarcou em um ônibus em direção ao Gama. Afirmou ainda que não permaneceu no local por medo de ser agredido por testemunhas. Segundo a delegada, ele foi indiciado por homicídio culposo e vai responder em liberdade.

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que Brendo foi atropelado. O jovem sofreu traumatismo craniano e morreu no hospital. O acidente foi por volta das 21h30 de sexta-feira (16), na CL 210 de Santa Maria.

Nas imagens, é possível ver o momento em que um carro vermelho passou próximo ao ciclista. Em seguida, um veículo prata atingiu o jovem. Com o impacto, Brendo ficou caído no chão. Logo depois, uma testemunha se aproximou para ajudar a vítima.

Imagem mostram o momento em atropelado ocorre em Santa Maria, no DF

Ào Portal, a mãe do jovem, a diarista Iris Cristina, contou o filho tinha comprado a bicicleta há um mês.

“E ele estava muito feliz. Toda vez que ele saía, que ele estava de folga, ele vinha passear aqui, entendeu? E nesse dia eu não sei o que aconteceu. Simplesmente ele foi passar por aquela faixa ali e aconteceu esse acidente”, lamentou.

Motorista identificado

Segundo a Polícia Civil, o carro envolvido no acidente está em nome da mãe do motorista. Ele foi identificado a partir da consulta do veículo.

O condutor foi indiciado por homicídio culposo ao volante, com pena que varia de 2 a 4 anos de prisão. A punição pode ser aumentada em até 50% quando o atropelamento ocorre em faixa de pedestre ou quando o motorista deixa de prestar socorro.

No primeiro semestre deste ano, 7.184 condutores foram flagrados sem carteira de motorista, segundo o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF).

Blogdopa, o Portal Alfa fogo das notícias o jornalismo verdade e os previlegios da PCDF.